Translate

domingo, 17 de março de 2013

DÍVIDAS




O que a Bíblia diz sobre um cristão ficar devendo? Um cristão poder pedir dinheiro emprestado ou emprestar dinheiro?



Pergunta: "O que a Bíblia diz sobre um cristão ficar devendo? Um cristão poder pedir dinheiro emprestado ou emprestar dinheiro?"

Resposta: A cobrança de Paulo para que não devamos nada além de amor em Romanos 13:8 é uma poderosa lembrança do desgosto de Deus por todas as formas de débito não prontamente pagos (veja também Salmos 37:21). Normalmente, nós pensamos em débito em termos de uma obrigação monetária. Mas à luz do contexto desta passagem inteira (Romanos 13:1-10), Paulo parece ter em mente uma visão mais ampla de débito (Romanos 13:7). Ele não apenas fala dos tributos, impostos e tarifas que nos são impostas pelo governo, mas também do respeito, da honra e do louvor que nós devemos para aqueles que têm autoridade. Todos nós somos devedores para a graça de Deus. Assim como Ele nos mostrou amor, nós devemos estender o amor para aqueles ao nosso redor com quem nós vivemos e trabalhamos – mesmo aqueles que nos impõem taxas e nos governam.

Algumas pessoas questionam a cobrança de juros em empréstimos, mas diversas vezes na Bíblia nós vemos que é esperado que uma taxa justa de juros seja recebida com o dinheiro emprestado (Provérbios 28:8, Mateus 25:27). Na antiga Israel, a Lei proibia a cobrança de juros em uma categoria de empréstimos – aqueles feitos aos pobres (Levítico 25:35-38). Esta lei tinha diversas implicações sociais, financeiras e espirituais, mas duas devem ser mencionadas. Primeiro, a lei genuinamente ajudava os pobres não tornando a sua situação pior. Era ruim o suficiente ter caído na pobreza, e poderia ser humilhante ter que procurar por assistência. Mas, se somado ao pagamento do empréstimo, uma pessoa pobre tivesse que fazer o pagamento de altos juros, tal obrigação seria mais dolorosa do que prestativa.

Segundo, a lei ensinava uma importante lição espiritual. Seria um ato de misericórdia aquele que empresta dinheiro deixar de cobrar juros sobre o empréstimo. Ele estaria perdendo o uso deste dinheiro ao emprestá-lo. Ainda assim esta seria uma maneira tangível de expressar gratidão a Deus pela Sua misericórdia ao não cobrar “juros” ao seu povo pela graça que ele havia lhes concedido. Assim como Deus havia misericordiosamente tirado os israelitas do Egito quando eles eram nada além de escravos sem valor algum, e dado a eles uma terra (Levítico 25:38), assim Ele também esperava que eles tivessem uma compaixão similar para com os seus próprios cidadãos pobres.

Os cristãos estão em uma situação paralela. A vida, morte e ressurreição de Jesus pagaram a Deus o nosso débito causado pelo pecado. Agora, assim que tivermos oportunidade, nós podemos ajudar outros em necessidade, particularmente nossos irmãos, com empréstimos que não aumentem os seus problemas. Jesus até mesmo contou uma parábola sobre dois credores e a sua atitude com relação ao perdão (Mateus 18:23-35). Ele também instrui os Seus seguidores: “De graça recebestes, de graça dai” (Mateus 10:8).

A Bíblia nunca permite ou proíbe expressamente o ato de pedir dinheiro emprestado. A sabedoria da Bíblia nos ensina que normalmente não é uma boa idéia ficar endividado. Dívidas essencialmente nos tornam escravos daqueles a quem devemos. Ao mesmo tempo, em algumas situações endividar-se é um “mal necessário”. Enquanto o dinheiro for utilizado de forma sábia e os pagamentos da dívida forem gerenciáveis – um cristão pode tomar para si o fardo da dívida financeira, se necessário.


Com que dívidas devemos nos preocupar? A Bíblia diz em Romanos 13:8 “A ninguém devais coisa alguma, senão o amor recíproco; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei.”
Pague as suas contas e dívidas a tempo. A Bíblia diz em Provérbios 3:27-28 “Não negues o bem a quem de direito, estando no teu poder fazê-lo. Não digas ao teu próximo: Vai, e volta, amanhã to darei; tendo-o tu contigo.”
Você não é totalmente livre enquanto tem dívidas. A Bíblia diz em Provérbios 22:7 “O rico domina sobre os pobres; e o que toma emprestado é servo do que empresta.” 



O Cristão e os Problemas Financeiros

Você está enfrentando problemas financeiros? Faturas que você não consegue pagar? Cheques que você não pode cobrir? Necessidades que você não tem dinheiro para suprir? Vergonha? Frustração? Excesso de trabalho? Tensão? Problemas financeiros são excessivamente preocupantes e conduzem a muitos pecados: descontentamento, ingratidão, ira, desonestidade, impaciência, ansiedade e negligência das responsabilidades espirituais. A Bíblia ensina-nos como enfrentar muitas situações diferentes na vida, incluindo as dificuldades financeiras. A chave para enfrentar problemas financeiros está na atitude da pessoa. Para responder bem precisamos permitir que a palavra de Deus opere em nosso coração e mude nosso modo de ver as coisas.
Atitudes

Gratidão: Paulo insiste em que sejamos gratos. Precisamos estar "... transbordando de gratidão" (Colossenses 2:7). "Dêem graças em todas as circunstâncias..." (1 Tessalonicenses 5:18). Não devemos nos queixar nem sentir pena de nós mesmos, mas antes devemos considerar cuidadosamente todas as razões que temos para sermos agradecidos e louvar a Deus por suas bênçãos a nós. Os israelitas no deserto estavam se queixando constantemente, mas tinham se esquecido da grande libertação que Deus lhes tinha dado havia apenas pouco tempo. Temos que atentar para o que o Senhor nos tem dado e não para as coisas que não temos.

Contentamento: "Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: ‘Nunca o deixarei, nunca o abandonarei’" (Hebreus 13:5). A presença de Deus com seu povo deveria dar tanta alegria e segurança que poderíamos facilmente nos contentar com qualquer padrão de vida. Paulo estava contente na fome ou na abundância (Filipenses 4:10:13). Por outro lado, as Escrituras estão repletas de advertências contra a ganância e a avareza (veja Lucas 12:15, por exemplo). Por qualquer razão, nunca parecemos reconhecer o desejo desordenado por coisas em nossas próprias vidas. Pensamos que todas as coisas que queremos são necessidades e que a dívida que acumulamos ao buscar adquiri-las é perfeitamente aceitável. Poderia ser que poucos de nós admitem a ganância em nossas vidas porque nos cegamos e deixamos de perceber o verdadeiro estado de nosso coração? Paulo exortou: "Por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos" (1 Timóteo 6:8). Estamos satisfeitos somente com isto?

Sobriedade: Muitos textos nos exortam a sermos sóbrios (1 Tessalonicenses 5:6, 8; 1 Pedro 1:13; 4:7; 5:8). A pessoa sóbria encara os fatos e não deixa seus desejos colorirem sua percepção da realidade. Muitas pessoas tratam das finanças num mundo de sonho, sempre imaginando que tudo dará certo magicamente. Mas fugir de um problema ou negá-lo não ajuda e não está de acordo com o caráter de Cristo. Temos que reconhecer nossa situação atual, não importa quão triste seja, e ser "homens de coragem" (1 Coríntios 16:13). Ignorar os problemas não os extingue. Lutas financeiras não desvanecem sem mais nada, mas precisam ser resolvidas por disciplina séria e perseverante.

Honestidade: A honestidade é parte do caráter cristão (2 Coríntios 8:21; Tito 2:5). Pessoas honestas aceitam suas limitações financeiras e não tentam ser uma coisa que não são, vivendo num estilo de vida que suas condições não permitem. Pessoas honestas admitem que há muitas coisas que outras em torno delas têm ou podem fazer que elas não podem porque não têm dinheiro suficiente para isso. E pessoas honestas não fazem dívidas que não têm capacidade para pagar (veja Romanos 13:8).

Diligência: Algumas vezes, porém nem sempre, os problemas financeiros resultam da preguiça. "Tirando uma soneca, cochilando um pouco, cruzando um pouco os braços para descansar, a sua pobreza o surpreenderá como um assaltante, e a sua necessidade lhe sobrevirá como um homem armado" (Provérbios 6:10-11). "Por causa da preguiça, o telhado se enverga; por causa das mãos indolentes, a casa tem goteiras" (Eclesiastes 10:18). Problemas financeiros devem ser esperados quando nos mimamos com descanso e sossego, e não trabalhamos esforçadamente. Um homem deve sustentar sua família (1 Timóteo 5:8) mesmo que isso possa envolver trabalho difícil ou empregos desagradáveis, ou mesmo se o trabalho disponível é relativamente mal pago.

Espiritualidade: Precisamos manter nosso foco principal em Cristo, não em coisas materiais. "Ninguém pode servir a dois senhores: pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro... Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas" (Mateus 6:24, 33). Nossas posses, nossa posição e nosso sucesso nesta vida são matérias insignificantes para o verdadeiro cristão. Ele se vê como meramente passando através desta vida como um peregrino e portanto relativamente desinteressado nas suas condições. Ele nunca faz da prosperidade material uma meta séria (veja Lucas 9:57-58). O homem espiritual percebe que seu dinheiro e sua posição financeira não são as coisas importantes da vida.

Altruísmo: O servo do Senhor está sempre buscando dar, em vez de gastar consigo mesmo. Ele vê o dinheiro que ganha trabalhando como uma bênção que ele pode aplicar servindo a outros: "O que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo algo de útil com as mãos, para que tenha o que repartir com quem estiver em necessidade" (Efésios 4:28). Discípulos verdadeiros vêem a prosperidade material não tanto como algo para si mesmos, mas como algo útil para servir outros (2 Coríntios 9:8-11). Enquanto o cristão for egoísta, ele sempre sentirá frustrações ao lidar com assuntos financeiros.

Humildade: A humildade para admitir enganos e buscar corrigi-los é básica. Muitos de nós temos tido atitudes impróprias e não temos administrado bem nosso dinheiro. Nunca mudaremos até que admitamos que temos estado errados. Precisamos também ter a humildade de examinarmo-nos à luz da palavra de Deus e fazer as coisas que aprendermos (Tiago 1:21-24). Esta seria uma boa hora para parar de ler este artigo e rever as oito atitudes que precisamos ter e tentar honestamente avaliar-nos e resolver mudar nossa atitude nas áreas necessárias. Como Deus nos vê em cada uma destas atitudes?

Mudanças Específicas

As coisas específicas que precisamos fazer ao lidar com problemas financeiros dependem de nossa mudança e adoção das atitudes mencionadas acima. Sem perspectivas corretas, os passos seguintes terão pouca validade.
Œ Avalie honestamente sua situação. Encare os fatos. Talvez ajudasse pegar uma folha de papel e lançar todas as suas dívidas e anotar os valores de todas. Então, lançar sua renda e suas despesas mensais. Qual é, exatamente, sua situação financeira.
 Comece a pagar suas dívidas. "Não devem nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros..." (Romanos 13:8). Calcule quanto dinheiro por mês é necessário para pagar todos os juros e, também, comece a pagar o principal (o valor original do empréstimo, antes do acréscimo de juros). Se suas prestações e obrigações mensais forem mais do que tem disponível no orçamento da família, ha três coisas que poderia fazer de modo a ter dinheiro para pagar as dívidas: (a) Gastar menos. Quando for necessário, as despesas podem ser reduzidas às mínimas necessidades de comida e lugar para viver (veja 1 Timóteo 6:6-10). (b) Ganhar mais. Às vezes há oportunidades para trabalhar mais horas, ter um segundo emprego, ou encorajar os filhos adolescentes ou adultos que estejam vivendo no lar a trabalharem. (c) Vender coisas. Os cristãos primitivos vendiam casas e terras para aliviar as necessidades de seus irmãos (Atos 4:32-37); certamente não é irracional esperar que um discípulo de Cristo venda coisas para poder pagar o que deve.0142
Ž  Viva dentro dos limites de seu orçamento. A Bíblia adverte sobre a loucura de fazer dívidas: "O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta" (Provérbios 22:7). A escravidão aos credores é muito penosa; é melhor esperar pacientemente e comprar somente aquelas coisas que se pode pagar.
 Comece a aplicar sua renda no sentido de metas espirituais. Temos que chegar a ver tudo o que temos como pertencendo ao Senhor e começar a usar nossos recursos para servi-lo. O Novo Testamento exorta-nos a dar generosa e abundantemente (2 Coríntios 8-9). Conquanto seja verdade que não estamos mais obrigados ao dízimo, não devemos usar isso como uma desculpa para sovinice. Não devemos permitir que nossa oferta seja diminuída pela avareza (2 Coríntios 9:5).


8 Dicas para sair das Dívidas


 1. Assuma já o compromisso de livrar-se das dívidas.
     Este é o passo mais difícil de todos, mas também é o mais importante. Tem de tomar o compromisso de fazer isto. É absolutamente crucial. A liquidação das dívidas é algo que Deus abençoa. A Bíblia diz no Salmo 37: “O ímpio toma emprestado, e não paga …” (v. 21). Deus não abençoa os ímpios.
     Isso significa que não podemos tomar o caminho fácil e declarar falência. É verdade que a falência é legal. Mas isso não a torna moral. Não é moral ficar a dever algo a alguém. Deus diz que se temos uma dívida, devemos saldá-la. Isto é duro de pregar nestes dias difíceis mas é preciso considerá-lo.
     As dívidas não desaparecem naturalmente. É preciso vontade e começa com um compromisso. Se queremos ficar livres de dívidas, temos de fazer o que conduz a isso. Não é fácil! Exige disciplina. Exige perseverança. Mas também é a coisa certa que se tem de fazer.
2. Coloque Deus em primeiro lugar.
     Quando estamos endividados, necessitamos da ajuda de Deus. Isso significa que precisamos de agir do modo de Deus. O facto é que, qualquer que seja a área que queremos que Deus abençoe, temos de colocá-lO em primeiro lugar. Quer que Deus abençoe as suas finanças? É melhor que O coloque em primeiro lugar nas suas finanças. Jesus disse, “Mas buscai primeiro o reino de Deus, e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”
3. Enumere tudo o que possui, deve, e ganha.

     Você tem de manter bons registos. É o princípio da contabilidade. Necessita de saber para onde tem ido o seu dinheiro, para onde está a ir, e de onde está a vir. A Bíblia diz isto: “Com a sabedoria se edifica a casa, e com a inteligência ela se firma” (Prov. 24:3). Você é sábio quando sabe para onde o seu dinheiro está a ir.
     As pessoas dizem que o dinheiro fala. Ele não fala! Simplesmente desaparece sorrateiramente. Depois você chega ao fim do mês e pergunta, “Para onde foi o meu dinheiro?” Se colocou sempre essa questão a si mesmo, é porque não tem um orçamento e precisa de um. Um orçamento diz ao seu dinheiro para onde quer que ele vá, em vez de se interrogar para onde foi.
4. Faça alguma venda.

     Necessita de se livrar de algumas das suas coisas. Necessita de converter algumas das suas coisas de casa em dinheiro “vivo”? Olhe em volta, lá em casa. Mesmo que já esteja pago, a venda pode ser uma boa opção. Porquê? Porque está a pagar para manter.
     Nada deve ficar fora de consideração. Se adquiriu um automóvel, interrogue-se sobre qual o propósito do mesmo. Se é para transporte, há uma série de formas de se fazer transportar de um lado para outro. Haverá uma forma mais barata de o conseguir? Seja radical. Você pode comprar uma casa mais barata para reduzir as mensalidades? Faça o que for necessário. A propósito, se tem algo de que não consegue imaginar ver-se livre, tal não é uma possessão, mas um ídolo. Nada deve ficar fora de consideração.
5. Estabeleça um plano de amortização para se ver livre da dívida.

     Nunca se verá livre da dívida acidentalmente. Consegue-se de forma intencional. Terá de realizar um plano. A Bíblia diz, “Os pensamentos do diligente tendem à abundância (ou, Quem planeia com cuidado tem fartura). Se necessário, procure ajuda de alguém objectivo que o ajude a realizar isto.
     É bom ter alguém que diga, “Já pensou nisso? Pode pagar realmente isso?” E, acima de tudo, alguém que o ajude a estabelecer um plano de amortização.
6. Não contraia novas dívidas.

     Corte com o vício ou dependência do endividamento. Acabe com os seus cartões de crédito. Não contraia mais empréstimos. A razão número um que leva as pessoas a endividarem-se é não conseguirem viver com o que ganham. Decida hoje que o conseguirá. Para o conseguir, tem de ficar contente com o que tem. É o único antídoto para o endividamento a longo prazo.
7. Partilhe o plano com os seus credores.

     Dê a conhecer às pessoas a quem deve que as coisas estão a mudar. Faça uma lista daqueles a quem deve. Telefone a cada um deles e diga-lhes, “Não quero ficar em dívida. Não é bom para si. Não é bom para mim. Não lhe posso pagar $25 dólares por mês, porque simplesmente não os tenho. Mas posso pagar-lhe $5 dólares por mês. Quero liquidar as minhas dívidas. Pode ajudar-me nisto?”
     A Bíblia diz, “Sendo os caminhos do homem agradáveis ao Senhor, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele” (Prov. 16:7). Os seus credores vão perceber o seu esforço e ajudá-lo-ão.
8. Firme-se no objectivo.

     A libertação do endividamento não é fácil. Exige disciplina, esforço, e sacrifício. Mas pode consegui-lo. Estes princípios funcionam, mas precisa fazê-los funcionar. A Bíblia diz, “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido” (Gál. 6:9).
     Será tentado a desistir, mas mais do que nunca, terá de prosseguir e de se firmar no plano. Necessitará também do encorajamento dos irmãos na fé.
     Deus está interessado em todos os detalhes da sua vida – incluindo a sua vida financeira. Ele quer que liquide as suas dívidas, e ajudá-lo-á a consegui-lo.


O Mordomo Fiel

Evita Dívidas

Dt 15:4-6; Dt 28:1-2,12; Dt 28:15,43-45; Pv 22:7; Rm 13:8; Sl 37:21; Pv 6:1-5; Pv 22:26-27; 1Tm 6:6-8
Infelizmente, é incomum as pessoas conterem seu impulso consumista e planejarem os seus gastos. Enganadas ou incentivadas pela propaganda, simplesmente saem comprando e depois é que começam a pensar como é que vão pagar. Acabam comprometendo a sua renda com as dívidas. Adquirem o péssimo Hábito da Dívida, ou seja, tudo o que elas compram, compram a prazo.
Hábito da Dívida
Primeiro comprar, depois pagar.
=> Gastar o que ainda não ganhou

É possível que chegue a 80% o percentual da população do nosso país que administra o seu dinheiro desta forma, e que, por isso, tem de enfrentar os problemas financeiros decorrentes disso. Especialistas financeiros calculam que pelo menos 25% da renda das pessoas que administram o seu dinheiro desta maneira (o equivalente a 3 meses por ano) vai embora através do pagamentos de juros. 
Nesta questão, a Bíblia também é objetiva, simples e direta:
"Não devam nada a ninguém..." Rm 13:8a.
"O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta" Pv 22:7.
Muitas pessoas ignoram estas instruções e preferem viver endividadas, envolvidas pelo ciclo vicioso da dívida. Antes de terminar de pagar as prestações de uma dívida, já fazem uma dívida nova. Estão realmente escravizadas.
Veja algumas razões para não ter dívidas:
1. Você pode perder a sua renda. Perder o emprego e a remuneração é algo que pode acontecer. Se alguém está endividado, no Hábito da Dívida, certamente esse fato vai gerar instabilidade imediata em suas finanças.
2. Você pode ficar inadimplente. Se por algum motivo pagamentos forem atrasados e houver inadimplência, o cobrador começar a bater à porta ou o nome do devedor for inscrito no cadastro do SPC ou da SERASA (sistemas de proteção ao crédito), será que seria possível dormir tranqüilo? Será que isso causaria transtornos no lar? Sabemos que problemas relacionados às finanças provocam muitos desentendimentos familiares e estão entre as principais causas de divórcios.
3. Os juros são altíssimos. Ao fazer dívidas, provavelmente juros muito altos serão pagos, então boa parte do esforço feito no trabalho será para pagar juros. Em geral, dinheiro que está sendo jogado fora.
4. Dívida é escravidão. "O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta" (Pv 22:7).
5. Dívida é maldição. Você já ouviu alguém dizer: "Como eu sou abençoado, estou cheio de dívidas?" A dívida aproxima maldições, e não bênçãos, da vida de uma pessoa.
Você quer se livrar das dívidas?
Estude e medite no texto de 2Reis 4:1-7, e veja quais princípios extraídos da experiência da viúva você poderia aplicar à sua situação atual. Leia os capítulos 5 e 6 do livro O Seu Dinheiro, de Howard Dayton.

Dívidas planejadas, mas, mesmo assim, não recomendadas.

Em alguns poucos casos, talvez pudéssemos considerar a possibilidade da dívida, como na compra de um imóvel, por exemplo, se for com minucioso planejamento. Mas, muita atenção: é comum ouvirmos que pagar aluguel é jogar dinheiro fora, e isso não é necessariamente verdade, pois pagar juros de financiamento pode ser mais caro que pagar aluguel. Portanto, muito cuidado com financiamento imobiliário ou consórcio, pois pode ser um péssimo negócio. Não é recomendável assinar um contrato sem antes buscar conselhos consistentes, calcular cuidadosamente e verificar as implicações das prestações no orçamento familiar, para que isso não tire a tranqüilidade e não venha a ser mais um problema. 
Use o programa gratuito Ganância :: Finanças Pessoais para fazer cálculos e avaliar isso matematicamente.

Fiança

Por que existe fiança? Isso mesmo, fiança só existe por que existe dívida e por que o credor não pode confiar nem ter certeza que vai receber o seu dinheiro de volta.
Leia, na Bíblia, Provérbios 6:1-5 e veja o que é dito a um fiador, para que esforce-se a se livrar do seu compromisso, caso já o tenha assumido. Tanta ênfase é dada porque realmente a possibilidade de ter de pagar a dívida do devedor original é muito grande.
Veja outro conselho em Pv 22:26-27:
"Não seja como aqueles que, com um aperto de mãos, empenham-se com outros e se tornam fiadores de dívidas; se você não tem como pagá-las, por que correr o risco de perder até a cama em que dorme?".
Ou seja, a menos que você tenha os recursos necessários e, de antemão, esteja disposto a pagar a dívida do devedor, fuja de ser fiador.
Os textos bíblicos acima que falam sobre fiança também tem muito a dizer a quem quer tomar dinheiro emprestado.
Se alguém que pensa entrar em dívidas prestar atenção a isso, facilmente vai concluir que também não pode ter certeza alguma de que vai conseguir pagá-las. Logo, é muito grande a probabilidade de que terá de enfrentar as conseqüências de problemas financeiros em sua vida.


O que a Bíblia Diz Sobre Dívidas

As noticias nos últimos meses destacam o recorde de endividamentos do brasileiro. Inadimplência combina muito bem com cheques, cartões de crédito e financiamentos. Na opinião de um especialista em finanças “as pessoas sabem que será mais vantajoso se pouparem e usarem o dinheiro para comprar à vista. Mas quem tem paciência para esperar para consumir? Elas querem agora”. Pior que estar devendo é pagar por esse crédito. Mesmo com Selic em queda, nos maiores bancos, a taxa de juro do cheque especial segue acima de 150% ao ano. É o crédito mais fácil de usar. Sempre disponível, o dinheiro está na conta, prontinho. Pode ser em um saque no meio da noite ou em um pagamento no débito e o empréstimo começa a valer sem a assinatura de papéis ou a presença do gerente. Mas, tanta facilidade tem um preço.
Qual é o seu ponto de referência quando você precisa tomar decisões financeiras que envolvem sua família, negócios e trabalho? Os cristãos buscam a vontade de Deus para suas vidas; desejam que Deus cumpra os seus propósitos; afirmam que Deus é o Senhor sobre suas vidas... Como é que funciona com a questão financeira? Será que Deus também tem algo a dizer sobre isso? Ou será que ele se importa mesmo é com os 10% que ofertamos e o resto é ‘cada um que se vire como pode’? A maneira como administro o dinheiro, afeta a minha comunhão com Deus? O que a Bíblia tem a dizer sobre dívidas?
O sábio autor de Provérbios diz que “quem toma emprestado é escravo de quem empresta” (Provérbios 22. 7). Em Romanos 13.8 o Apóstolo Paulo chama a atenção: “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros...” Diante do ensino bíblico a este respeito existem para nós duas alternativas sábias: 1)Evitar o endividamento a todo custo; 2) Se já está endividado, fazer todo esforço possível para sair da dívida. Cheque especial e cartão de crédito, o que fazer com eles? Reflita: se é você quem manda neles, bem. Agora, se eles já assumiram o controle, aproveite um dia frio em que a lareira da tua casa estiver acesa e veja como o fogo age rapidamente nessa coisa que parece ter tanto poder sobre você. Se no final do mês você não consegue pagar todo o saldo devedor do seu cartão de credito, então está na hora de uma cirurgia plástica: você só precisa de uma tesoura para isso.
Antes da próxima compra e do risco de contrair uma dívida faça a si mesmo três perguntas: 1) Tenho dinheiro? 2) Eu preciso? 3) Precisa ser agora? Muitas das coisas que compramos não representam de fato uma necessidade. Essas perguntas nos ajudam a refletir e evitar as compras por impulso. E, lembre-se: “Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades” (Filipenses 4. 19).


3 Chaves Biblicas Para Sair das Dividas

Notícias Gospel 3 Chaves Biblicas Para Sair das Dividas | Noticia Evangélica Gospel
Existem três chaves bíblicas que podem nos auxiliar a sair das dívidas.O arrependimento, a gratidão e o pacto com Deus. Mas é importante sair da teoria e colocar em prática essas chaves. Certamente Deus não te colocou aqui na Terra para viver endividado...

O arrependimento - Saiba que Deus é bom e tem um coração misericordioso! Ele está sempre disposto a nos perdoar. Você quer sair das dívidas? Arrependa-Se, confesse e peça perdão por suas dívidas e por ter praticado iniquidade contra si mesmo. O problema é que, na vida empresarial, o amor ao dinheiro nos transforma em pessoas orgulhosas demais para pedir perdão e arrepender-se. Esse comportamento de soberba desagrada a Deus e é um dos motivos pelo qual demoramos a nos libertar das dívidas e dessa opressão demoníaca. Seja inteligente, não demore, peça perdão a Deus por suas dívidas, pois no livro de Provérbios 28.13 está escrito: "O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”. Como se observa, a dívida é uma transgressão, uma violação feita em estado de desobediência à palavra de Deus, e isso se configura também como uma iniquidade. Aquele que comete iniquidade se afasta de Deus, coloca entre si e Deus um obstáculo que impede as bênçãos. Quem comete iniqüidade não pode prosperar, pois a palavra de Deus, por ser a verdade, sempre se cumpre, e lá está escrito: “o que encobre suas transgressões nunca prosperará”. Para sair das dívidas, arrependa-se e peça perdão a Deus enquanto há tempo...

A gratidão - A gratidão é a mãe de todas as virtudes. Há um axioma bíblico que diz que quando somos gratos com aquilo que recebemos de Deus, Ele nos dá aquilo que queremos. Mas há também outra verdade: quando nos endividamos, murmuramos de nossa situação, e, em geral, atribuímos o problema aos outros, culpamos o demônio, ou lamentamos com Deus e, assim, somos ingratos, desconsiderando tudo o que Ele tem feito por nós, por nos dar a capacidade de gerar riquezas - capacidade essa que usamos de forma equivocada - geramos, em vez de riqueza, dívidas e pobreza. Para o empresário, é importante saber que, quando murmuramos, ofendemos a Deus, pois, na murmuração, estamos dizendo que Deus não nos ama e nem nos ampara e, por isso, estamos passando por essa situação vergonhosa. O diabo sabe que através de nossa murmuração envergonhamos a Deus e por isso nos tenta e faz de tudo para que nossa boca seja um punhal no coração de Deus. Mesmo que você esteja sofrendo em função das dívidas, volte-se para Deus com um coração agradecido e tudo mudará. Faça o que está escrito no livro de Salmos capítulo 103, versículo 2: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios”. A gratidão faz com que Deus olhe para nós e para nos ver melhor, Ele abre as janelas dos céus, e, assim deixa cair as bênçãos. Creia e aprenda: a gratidão é um dos princípios bíblicos capaz de nos tirar das dívidas...

O pacto com Deus - Deus é o melhor empresário e empreendedor que existe. Ele criou, implementou e vem governando tudo que há no universo. Como rei, Ele é supremo e tem soberania eterna, pois seu reino não tem fim. Como gestor e parceiro, é confiável e sabe delegar poder, pois nos deu o livre-arbítrio. Como fomentador, Ele é o dono do ouro e da prata e nos deu a capacidade de gerar riquezas e de fazer transformações na sociedade. Como pai, é bondoso, misericordioso e nos ama, apesar de nossas falhas, transgressões e iniquidades. Analisando bem, não há sócio com perfil empresarial melhor que Deus. Então, convide Deus para ser seu sócio. Como assim? Faça um pacto comercial com Ele! Essa aliança mudará o rumo de sua empresa. Veja o que diz o livro de Salmos, capítulo 127, versículos 1 e 2: "Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão das dores; aos seus amados Ele o dá enquanto dormem”. E tem mais: Deus sabe o que precisamos para sair das dívidas. Ele sabe como devemos nos comportar frente às pressões financeiras. Portanto, deixe Ele agir, apenas fique quieto, confie Nele, pois essa é a chave para se livrar das dívidas.

 Pergunta: Estou atolado em dívidas e não consigo sair delas. Há meses venho tentando uma saída e não encontro. Já pensei em me suicidar, pois não estou aguentando o peso sobre meus ombros. Sei que dinheiro não cai do céu. Peço que orem por mim. Quero ser uma pessoa temente a Deus e que Ele me purifique. CL

Resposta: Hoje você está passando por problemas decorrentes de alguns atos do passado. Deus sabe os motivos, Ele compreende todos os motivos envolvidos e sente compaixão pelo que você está passando agora.

Deus não vai, de modo algum, tirar as consequências dos seus atos passados, pois isso não seria justo. Contudo, Ele vai passar cada instante ao seu lado e ajudar-lhe a vencer essas dívidas e ter mais controle para não se endividar novamente.

Satanás faz de tudo para nos destruir completamente, mas Deus é muito maior que ele. Deus nos criou e conhece cada parte do nosso ser. Ele está junto com você e sabe de seus problemas e angústias. Confie nEle!

Às vezes, entramos em dívidas devido a carências emocionais; outras, devido a fatores alheios a nós mesmos: mudanças na legislação, desonestidade de concorrentes, entre outros. Independente da razão de você haver adquirido essas dívidas, Deus irá ajudar-lhe a quitá-las.

Veja algumas das promessas de Deus para você hoje:

"Quando os caminhos do homem agradam ao Senhor, faz que até os seus inimigos tenham paz com ele. Melhor é o pouco com justiça, do que grandes rendas com injustiça. O coração do homem propõe o seu caminho; mas o Senhor lhe dirige os passos." Provérbios 16:7-9.

"O que atenta prudentemente para a palavra prosperará; e feliz é aquele que confia no
Senhor." Provérbios 16:20.

Você tem estudado a Bíblia? Já fez algum dos cursos gratuitos on-line que temos neste site? Se não, cadastre-se agora mesmo e comece a conhecer as principais mensagens bíblicas que mudam a vida de todo aquele que passa a conhecer verdadeiramente a Deus! Vamos lá!

Ore a Deus como se estivesse conversando com seu amigo mais íntimo. Coloque sobre os ombros dEle seus problemas. Depois, pense bem em como poderá pagar todas as suas dívidas. Faça planos de ir pagando aos poucos. Pague primeiro as dívidas cujos juros sejam maiores. Negocie com os credores uma forma de quitar as dívidas sem que falte aos seus familiares necessidades básicas como o alimento, a educação e a moradia. Procure viver do modo mais simples possível para que tenha condições de pagar algumas dívidas por mês. Se tiver algo de valor que não seja essencial, venda para pagar o que deve.

Faça planos de pagar todas as suas dívidas mesmo que isto leve vários anos. É justo arcar com as responsabilidades assumidas: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei.” Romanos 13:8.

É importante você compreender que sua vida é muito mais importante do que as dívidas que adquiriu. Ou seja, mesmo que você não consiga pagar suas dívidas, não pense em suicidar-se. Você é muito mais valioso do que todas as suas dívidas juntas. A sociedade precisa da contribuição que somente você poderá dar. Deus conta com você para tornar este mundo melhor. Deus o ama muito e quer apresentar você ao universo como um herói, alguém de coragem que escolheu amar a Deus apesar das lutas e dificuldades deste mundo. Portanto, tenha coragem!

“O SENHOR é quem vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te atemorizes.” Deuteronômio 31:8.


Que o Deus da paz lhe fortaleça!

FONTE:
 www.jesusvoltara.com.br/info/dividas.htm
 www.estudosdabiblia.net/d101.htm
 www.gotquestions.org/Portugues/cristao-debito.html
 girouniversal.wordpress.com › Geral
 ganancia.com.br/index.php?id=129
 rodomar.blogspot.com/2009/08/o-que-biblia-diz-sobre-dividas.html
 www.bibliacatolica.com.br › ... › JosuéJuízesRuteI Samuel
 www.vidasemdividas.com.br/index.php/10-slider-cat/6-divida
 www.midiagospel.com.br/.../3-chaves-biblicas-para-sair-das-dividas....
 www.bibliaonline.net/acervo/1275/pt-BR

SE VOCÊ É PESSOA JURÍDICA E DESEJA SE TORNAR UM PATROCINADOR DESSE BLOG, ANUNCIANDO SEU PRODUTO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇO, ENTRE EM CONTATO COM O ADMINISTRADOR NO EMAIL reinaremvida@gmail.com , OU SE VOCÊ PREFERE AJUDAR NO ANONIMATO ATRAVÉS DE DEPÓSITO OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA COM QUALQUER VALOR : 
 ( Caixa Econômica Federal, agencia 0185 conta 013 00458401-4 ) Sergio B. Barros

EM QUALQUER CASA LOTÉRICA DEPOSITE MESMO QUE SEJA APENAS 1 REAL OU 1 DÓLAR NA CONTA ACIMA MENCIONADA E ESTARÁ CONTRIBUINDO NESSA OBRA



..................................................................................... ....................................................................................
Postar um comentário

Confira Também:

Obrigado por sua Visita

Agradeço à todas as nações pelo carinho, principalmente aos irmãos dos USA, ao Evangelho Quadrangular, Assémbléias de Deus, Batistas, Pent...